Esta semana recebemos o José Gramaxo, co-founder e CEO da Portuguesa SendEAT, para mais uma edição do Sair da Casca. Falámos sobre a experiência de trabalhar com um Business Coach e como o Mindfulness se instalou na sua rotina diária.

Fala-nos sobre a SendEat. Queremos partilhar histórias de sucesso. Como está a correr?

Está a correr bem! Para quem ainda não nos conhece, a SendEat é uma plataforma de delivery online. Focamo-nos na entrega de comida ao domicílio, on demand e em menos de 30 minutos. Começámos no Porto, em Setembro de 2016, e desde então já fizemos mais de 15.000 entregas. Hoje trabalhamos com quase 300 restaurantes, entre Porto, Lisboa, e mais recentemente Aveiro. Daqui a duas semanas abrimos portas em Braga.

Parabéns! Segundo sei, este é o teu primeiro projeto enquanto empreendedor. À medida que o negócio foi crescendo e a equipa com ele, sempre te sentiste preparado para o liderar?

Antes pelo contrário. Acho que nunca me senti totalmente preparado para o liderar (risos)… A liderança é um processo de constante aprendizagem, constante melhoria. Todos os dias há novos desafios e novas lições a retirar.

Esforço-me por registar e perceber como é que as minhas decisões, ações e reações vão influenciando o sucesso da equipa e do negócio. É essencial este acumular de experiência. É o que faz crescer a nossa zona de conforto.

Pelo que me disseste, trabalhas com um Business Coach. O objetivo é acelerar essa aprendizagem?

Quando comecei o programa, há quase seis meses, o meu objetivo era aprender novas estratégias e ferramentas de gestão do negócio. O que me moveu não foi querer melhorar a minha liderança, ou a forma como lido com a minha equipa. Foi a possibilidade de poder acelerar o crescimento da SendEat.

Rapidamente percebi que as estratégias que fui aplicando acabaram por ser uma influência positiva não só no crescimento, nos “números”, como também na estratégia de liderança e a cultura da equipa. É natural. Não existe uma boa estratégia de gestão que ignore a importância das pessoas, do capital humano. São as pessoas que dão vida às empresas.

Desde que começaste o programa de Coaching, o que é que te marcou mais?

O exercício de transformar um sonho numa visão mais real. Não quero dizer mais realista. Até pode ser que tanto o sonho como a visão sejam inalcançáveis, mas a visão é mais tangível, mais concreta e portanto mais real nesse sentido.

Um sonho pode ser distante, ambíguo, indeterminado, por exemplo: “Quero ser o melhor do mundo.” Uma visão não. Uma visão é mais concreta: “Quero ser o melhor guitarrista do mundo antes de fazer 30 anos. Gostava de esgotar um concerto no Coachella e entrar no Hall of Fame do Rock. Quero-me casar, ter sete filhos e levá-los ao futebol aos Domingos.”

Este exercício ajudou-me de duas formas: Primeiro, quanto mais real e detalhada for a minha visão, mais fácil será mantê-la viva. Segundo, quanto mais real e detalhada for essa visão, mais fácil será persegui-la, definir uma estratégia para lá chegar.

Voucher Zenhack

Pegando no que disseste há pouco: “São as pessoas que dão vida às empresas (…)”. Qual a importância do bem-estar nessa visão que criaste para ti e para a SendEat?

Hoje, muita. Até recentemente, menos.

A verdade é que grande parte da equipa, eu incluído, chegou ao final do ano de rastos. Tínhamos acabado de abrir portas em Lisboa, praticamente ao mesmo tempo que a concorrência, o que gerou constantes alterações de estratégia, novas campanhas, corridas a parceiros, enfim. A juntar a isso, estávamos em conversações para fechar um investimento e a sentir alguma resistência desse lado. Estávamos todos no limite. Quando chegou a época do Natal, praticamente toda a equipa tirou uns dias de férias.

Desde então, concordámos em atribuir uma maior importância ao fator sustentabilidade na definição das nossas estratégias e dos nossos objetivos. Estamos mais conscientes quanto à importância do bem-estar da equipa. Até eu, talvez um dos mais céticos, faço uns minutos de Mindfulness pelo menos uma vez por dia (risos).

Explica-nos esses minutos de Mindfulness, para quem estiver a ler poder experimentar.

Todos os dias, normalmente a meio do dia, isolo-me durante 10 minutos. Sento-me de costas direitas, fecho os olhos e concentro-me na minha respiração. O objectivo é focar-me apenas no movimento gerado pelo processo de respiração, não deixar que outros pensamentos se alojem na minha cabeça durante mais de 30 segundos.

São 10 minutos que valem por 2 horas de sono. Fico mais relaxado, mais concentrado e mais disponível. Experimentem!

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas tomem controlo da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no nosso website poderá consultar um psicólogo por vídeo-chamada, esteja onde estiver. São mais de 30 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub

comentários